Fundação João Fernandes da Cunha - Eventos Culturais, Biblioteca, Centro turístico - Salvador Bahia
contatos
Tel: (71) 3328-0522
e-mail: fundjfc@hotmail.com / fundbibli@hotmail.com
Fundação João Fernandes da Cunha

Fundação
João Fernandes da Cunha

Fundação João Fernandes da Cunha - Biblioteca

conheça aBiblioteca João Fernandes da Cunha

Fundação João Fernandes da Cunha - Visita

venha nos visitarFundação João Fernandes da Cunha

rss fundação joão fernandes da cunha

/ Políticas & Finanças

STF: missão é anular tudo da Lava Jato

A decisão do STF de entregar a Lula as mensagens roubadas é só o começo: o plano dos detratores da Lava Jato é enterrar a operação com a anulação de processos e a absolvição de réus

No Congresso, parlamentares já aproveitam o enfraquecimento da Lava Jato, que teve a força-tarefa de Curitiba encerrada neste mês, para tentar atingir ex-integrantes da operação e o ex-juiz federal e ex-ministro Sergio Moro. Encabeçado pelo PT, o movimento iniciou a coleta de assinaturas no Senado para criação da CPI da Lava Jato.

Até quarta (10), apenas seis senadores do PT assinaram o requerimento de criação da CPI da Lava Jato. Mas o senador Rogério Carvalho (PT-SE) já articula a ofensiva junto a outros partidos, segundo apurou Wesley Oliveira, correspondente da Gazeta do Povo em Brasília. Eles esperam que até mesmo bolsonaristas e partidos do Centrão, atingidos pelas operações da Lava Jato, declarem apoio.   

O líder do Governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), criticou recentemente a operação e defendeu que juízes e procuradores que cometeram ilegalidades sejam punidos. Mas também há resistências no Congresso.

O líder da maioria no Senado, senador Renan Calheiros (MDB-AL), por exemplo, recentemente protocolou um projeto de lei para anistiar os hackers que invadiram os celulares de Moro e de outras autoridades. Na justificativa que acompanha a proposta, o parlamentar argumenta que os acusados contribuíram para o "aperfeiçoamento das instituições brasileiras", pois os diálogos são "confissões inequívocas de perseguição política", de "desprezo pelos direitos fundamentais das pessoas acusadas".

Renan Calheiros foi investigado pela Lava Jato e é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em um processo decorrente da investigação.

E é justamente dos partidos do Centrão que o PT pretende se aproximar para conquistar as assinaturas necessárias para abertura da CPI. “Se não for pelo Senado, vamos trabalhar pela Câmara. Talvez possamos contar com o apoio dos integrantes do Centrão e até dos deputados bolsonaristas, que viraram críticos do Moro”, diz um integrante do PT na Câmara.

Caso a movimentação dos petistas dê certo, caberá ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aceitar ou não o pedido de CPI. O deputado alagoano já teria sinalizado ser favorável a tirar a proposta do papel.

Deputados bolsonaristas, porém, descartam assinar a CPI. Para Carla Zambelli (PSL-SP), isso é um “ato isolado” dos petistas. Já Bibo Nunes (PSL-RS) diz não acreditar na abertura de uma CPI sobre o assunto. “Não acredito nessa CPI. O combate à corrupção está cada vez mais intenso no governo Bolsonaro”, afirma ele.

Na Câmara, para uma CPI ser criada são necessárias as assinaturas de 171 dos 513 deputados.

 

Fonte: Gazeta do Povo

Criação de Sites - Allan Carvalho
Fundação João Fernandes da Cunha
Largo do Campo Grande n° 8 – Campo Grande – CEP 40.080-121 – Salvador – Bahia – Brasil
Telefone: (71) 3328-0522
E-mail: fundjfc@hotmail.com / fundbibli@hotmail.com